Quero começar!

Olá!

Antes de mais nada, pardon me! Esse vai ser um post beeeem extenso e eu sei que meio chato, mas é só dessa vez, ok?

Meu nome é Paola e, no presente momento, eu sou uma estudante de Letras de 24 anos, penando pra me formar. Obstaculos? Greves, TCC, preguiça, vontade de mudar de curso... essas coisas que você já passou ou ainda vai passar.

Bom, esse é o momento de contar de onde eu vim e como cheguei aqui. Aqui no blog vai haver uma área aonde eu conto um pouco sobre a origem de tudo e essas coisas, mas de forma rápida e sem citar referências, nomes ou coisas do tipo. Por que isso? Porque eu quero começar do zero. Não quero pontos e referência tipo, "a Paola, aquela do blog tal", ou "aquela que tinha um blog de nome complicado com uma amiga". Essa citação de precursores só acontecerá aqui, então considere essa postagem um segredo que só quem vai saber é você que me acompanha desde o início ou você que está chegando agora, mas que ficou interessad@ o suficiente pra pesquisar ou passar as páginas aqui do blog, mas, acima de tudo, você que tem paciência pra ler, pois, como eu disse, a falação aqui vai ser muita. Então vamos começar.

Eu comecei ainda nos anos 2000, em 2005 pra ser mais específica, sem a menor noção de como fazer um blog, assim como a maioria dos blogueiros dessa época, diferente dos novos, que contam com o acesso a muitas dicas de como gerir um blog no geral. Pois é, eu não tive essa sorte, mas acabou dando certo, só que, a princípio, meu ramo era blog de textos. Eu escrevia qualquer coisa em prosa, nunca fui boa de poesia. O nome do meu blog era meu próprio nome, Paola Ribeiro, e foi feito pelo zip.net (mudei de hospedagem para o Wordpress, mas na época achei a gestão too much pra minha young cabecinha e mudei pro Blogspot, hospedagem que uso até hoje). Deixei o coitado pegando poeira vários meses, voltava, deixava, voltava... Aliás, esse foi um mal que me acompanhou como blogueira durante muitos anos. Atualizei o paolaribeiro até o final de 2009 mais ou menos, e quando perdi o interesse em escrever meus textinhos, fechei.

Em 2010 eu criei o meu blog de coisas sobre o universo feminino com um nome que hoje eu acho bem bobinho, "Paola Loves It". Quem nunca teve sua época capenga? Apesar do nome pouco atrativo, eu o amava e tinha um carinho imenso pelo blog! Fiz algumas postagens nele, durante um ano mais ou menos, e obtive até uma certa visibilidade na época em que houve na internet uma manifestação de Melisseiras (pessoas que usam sandália Melissa) meio revoltadas com preços, qualidade, falta de reconhecimento das grandes blogueiras que divulgavam a marca de graça e essas coisas... Mas não aproveitei o gancho porque aquele mal de abandonar o blog me pegou novamente embora eu o atualizasse de vez em nunca quando.

Ainda em 2010 eu e duas colegas da faculdade criamos um blog pra falar de coisas de mulher, com temática principal em unhas e esmaltes. Nós éramos muito viciadas em pintar as unhas e estávamos sempre aparecendo com cores diferentes e sempre rolava a seguinte pergunta: "amiga, que cor é essa?". VOILÁ! Surgia a ideia de um nome pro nosso blog. Essa ideia surgiu de uma delas, mas a parte da ação de criar, postar, idealizar o "físico" do blog ficou toda comigo. Eu não sabia mexer em HTML, CCS, não sabia fazer arte pra template, nem nada do tipo, então eu comecei a aprender e me virava como podia. Com o tempo, o mal do abandono de blog atingiu às minhas colegas e acabei ficando somente eu blogando no Amiga de 2011 a 2012 as vezes, beeeeem "de vez em nunca" mesmo, até queeee... próximo parágrafo rs.

Até que, nesse meio tempo, me aproximei mais de outra amiga da faculdade. Aí eu chamei ela pra continuar o "Amiga, que cor é essa?" comigo e foi quando mais o blog foi pra frente. Uma incentivava a outra, dividíamos responsabilidades, ideias, despesas, funções etc. Aproveitamos muito o layout que eu tinha "gambiarrado", por vários meses, mas logo contratamos uma pessoa que manjava um pouco mais dos paranauê pra fazer uma coisa mais bonitinha. Mas, como sempre, aquele mal do abandono nos assombrava. Passávamos meses sem postar e acabávamos perdendo tempo e timing. Juntando isso com algumas discordâncias que aconteciam entre nós, nos separamos e cada uma, um tempo depois, fez seu próprio blog (e o meu é esse aqui rs).

Por que a separação? Brigamos? Não. Antes de mais nada, saiba que ter algum negócio em sociedade com alguém é algo extremamente complicado. As pessoas são diferentes e discordam muito. É preciso que se ceda muito e muitas vezes. Algumas das discordâncias entre pessoas quem dividem um blog acabam fazendo com que as pessoas envolvidas percam a empolgação, a motivação, desanimem e tal... Então simplesmente paramos. Não houve uma briga delimitadora e não há nenhum ressentimento. Aconteceu que o blog ficou por muito tempo parado, até que, silenciosamente mesmo, ficou subentendido que tinha acabado, então, um tempinho depois, cada uma criou o seu.

Aí, então, no final de 2014, eu criei o P do Perigo, que antes era somente um perfil no Instagram chamado "Dica pra Vida". Escolhi esse nome porque eu queria algo que fosse a minha cara, então me prendi a expressões que eu falava muito no meu cotidiano e "p do perigo" (assim como "dica pra vida" também) é exemplo disso, mas não aderi logo de cara por motivos de não sei rs. O projeto de criar um blog já existia desde que criei a conta no Instagram, até que, no começo de 2015 o blog começou a criar corpo e agora, com essa primeira postagem, a ganhar vida.

"P do perigo" é uma expressão bem particular, digamos, mas não fui eu que inventei. Uma amiga muito fofa e querida que eu conheci durante uma temporada que eu fazia aulas de dança me deu essa mania de "p do perigo" de presente. Algo que ficou muito a minha cara, então, eu passei a usar muito essa expressão em situações aonde não tinha o p do perigo de alguma coisa acontecer. Entendeu? rs. Pra mim é o nome perfeito pro blog, já que meu nome começa com P e, além da expressão em si, a intenção também é a alusão ao P de Paola. Por isso preciso contar que uma amiga de uma empresa onde trabalhei, quando descobriu sozinha a ligação entre as duas coisas, agiu como se tivesse descoberto a América e eu amei né, rs. Enfim, aderir a essa expressão foi um presente mesmo, algo que eu vejo até como um sinal divino. Eu tenho um amor imenso por esse nome que não cabe em palavras.

Terceiro parágrafo sobre o (só eu tenho mania de apelidar blogs?), mas eu preciso contar do quanto foi difícil chegar a esse layout. Eu fiz tudo praticamente sozinha ("praticamente" porque se não fossem os tutoriais feitos por outras pessoas, eu não teria chegado a esse resultado) e eu não estou dizendo isso pra me gabar. Digo isso porque quero convencer você de que se você quiser fazer algo e acha que não pode porque não tem ajuda de alguém mais experiente, saiba que você está errad@! Geeente, hello!!! Eu, uma porta tecnológica, consegui editar um HTML! O Google é realmente um pai! Ele ensina muito e dá muito material pra você usar. Mudei algo ali, algo aqui... enlouqueci com bugs, pesquisei, perdi a paciência, quis desistir... Mas entre trancos e barrancos, cá estou, satisfeita com o resultado. Eu editei um logotipo beta, escolhi uma cartela de cores, inseri widgets, recursos e fui fazendo algo assim beeeem "melhorável", mas fui aprimorando conforme minhas pesquisas e aos poucos cheguei a algo que me agradou. Claro que tem alguns elementos que eu quero mudar ou aperfeiçoar, mas, mesmo com algumas melhorias pendentes, resolvi começar, pois, além de estar com um frivião e num pé e noutro pra começar(rs), eu criei coragem e fui dar a cara pra bater pedindo opiniões tanto a pessoas próximas e quanto a pessoas aleatórias e até mesmo a pessoas que entendem de design e programação e do assunto "ter um blog" em si e eles aprovaram.

Já deixei a procrastinação o receio me atrasarem demais. Dessa vez quero fazer diferente e, por isso, quero começar do zero. O intuito do Pê é ser um blog sobre o universo feminino sim, como muitos outros que já surgiram e que ainda estão por surgir. Mas nem só de de maquiagens, sapatos e roupas vivem as mulheres. Também temos nosso lifestyle no sentido cultural da palavra, sentimentos e tantas outras coisas mais. É isso que eu quero trazer pra cá.

Não tenho intenções lucrativas, sério, mas não estou dizendo que não iria gostar se rolasse algo parecido. Como todas as blogueiras já consolidadas dizem, você tem que começar por paixão. E isso, não há dúvidas, eu tenho, pois como bem citei aqui, não é de hoje que me envolvo no ramo. Eu tinha blog desde muito antes de saber que isso poderia ser uma profissão. E, ainda assim, o que me impulsionou não foi a "magia" de poder fazer de um hobby o meu trabalho, mas sim o fato de eu realmente gostar disso aqui. Tudo o que eu espero é que haja alguém que lê o que eu escrevo e se eu tiver um grupo de amigas que leem, comentam e compartilham o blog, a família ou somente você que está sendo isso aqui agora, eu já me considero uma pessoa dada por mais do que satisfeita!

Por fim, espero de coração que você goste e volte amanhã. Estarei fazendo tudo sempre com muito carinho e dedicação. Existe uma probabilidade de esse post ficar sendo o único por algum tempo... Mas eu ainda tenho coisas pra arrumar no atual momento, então estou perdoada ok? Mas tudo começa do primeiro passo então, vamo começar issaquê!!!!!!!!!

Hashtag PARTIU!!!!!




Nenhum comentário:

Fico feliz com seu comentário! Beijos!